"Há certas frases que se iluminam pelo opaco."

(Manoel de Barros)

terça-feira, 17 de maio de 2011

Rumo ao Infinito


Ao fechar os olhos, tudo o que vejo são pedaços de alma. Sozinha, tentando esquecer do que já não lembro mais... Abro os olhos, e estou a anos-luz de onde estava no segundo anterior. Não reconheço mais nada, a não ser o vento gelado que sopra com força, me trazendo vida e histórias: o que você me conta, vento amigo?

sábado, 7 de maio de 2011

Cuidado

Enquanto as horas passam, ela dorme. Mais uma vez não verá a noite se transformando em madrugada, as ruas emudecendo, a cidade se iluminando com luzes que não podem ser vistas sob o Sol. Ela nunca vê, mas isso também nunca lhe fez falta. Nunca a atrapalhou na execução de suas tarefas diárias, que não são poucas: acordar, cuidar da casa, cuidar da cria, cuidar-se.